11.12.09

CONHEÇA O AUTOR DO PROJETO


José Henrique Fialho é mineiro, natural da cidade de Raul Soares, formado em Administração de Empresas pela Universidade Federal de Minas Gerais, pesquisador da música popular brasileira, da cultura de massas e da indústria cultural.

e-mail:
zefialho.decadade50@yahoo.com.br
.
GIL said...Amigos seu blog esta perfeito me ajudou muito estou desenvolvendo uma pesquisa sobre limguagem cinematografica brasileira.23/11/07 ;

Hawker said...Adorei o projeto, vivi intensamente a década de 50, só estranhei não haver qualquer menção ao início da construção de Brasília, por volta de 1958.Romildo Guerrante - Rio de Janeiro6/1/08

wil.lennon said...Parabéns pelo projeto. As informações que este site proporciona a quem quer que seja, são um retrato da vida brasileira nas épocas enfocadas. A riqueza de detalhes é impressionante! A listagem das músicas das paradas de sucesso entre 1949 e 1960 é uma jóia rara. Não se vê esse tipo de cultura divulgada normalmente. Só faltaram os links para se fazer o "download" das músicas.Posso resumir tudo o que li e ainda vou ler neste belo site, como "espetacular"! Parabéns!25/1/08 ;

Tαмαяα said...Parabéns pelo blog! É muito bom.Não vivi nada da década de 50, mas o que eu ouvi, foi muitas histórias maravilhosas, e esse bolg só faz reforçar toda as imagens que eu tinha da década de 50. Muito bem explicado e comentado. Esse blog já me ajudou bastante nos trabalhos do colégio, e também me ajudou a ter mas conhecimento, o que nunca é demais! Simplesmente PERFECT!27/2/08;

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA said...Década de 50, aquela que "não terminou", parafraseando o livro "1968 O ANO QUE NÃO TERMINOU" de Zuenir Ventura.Zé Fialho, né? Já sou sua fã também.Seu blog é uma das maiores contribuições para a Cultura de Massas do nosso país.Ainda não o li todo, pois estou envolvida no meu blog de Literatura, mas Deus vai me conceder fôlego para tanto.Grande ABRAÇO! Vanuza Pantaleão10/4/08;

Círculo de Cultura said...Acabo de ler sua apresentação e confesso que me criou bastante expectativa para o que está por vir. Vou "devorar" seus próximos textos com o mesmo entusiasmo, espero em breve poder mandar-lhe um e-mail para trocar algumas informações.Um blog como esse precisa ser divulgado.19/4/08 ;

Paulo Sempre said...Abraço.Paulo Sempre.posted by Década de 50 at 4:58 AM;

14 comentários:

Blogger David Nascimento said...

José Henrique, tudo bem? Achei boa sua proposta... trabalhei com o Adorno na minha graduação tencionando cultura e identidade. Agora estou pesquisando, em partes, a Lapa e suas personalidades.
Cruzamos o interesse de pesquisa.
abraço

26/12/09  
Anonymous Anônimo said...

Tive oportunidade de ler o relato do episódio do suicídio de Getúlio Vargas em agosto ded 1954.

Ao lado disso, o blog traz a memória dos muitos responsáveis pela formação de nossa cultura popular.

Bela iniciativa, meus parabéns!

Valter

26/12/09  
Blogger Socorro Martiniano said...

Olá Zé!
Embaralhando mais as fronteiras discursivas, este blog é exemplo de um discurso híbrido que evidencia, o papel da música,leitura da composição dos textos. Observe-se, por exemplo, as nuances, em que se propõe o nível máximo da apropriação: escrever, linha por linha, a obra
musical...

15/1/10  
Blogger JOÃO LUIZ said...

Boa Noite Zé
Tudo bem?
Aqui em BH tudo na paz
um forte abraço
inté
João Luiz Pacheco Sad(jl-viramundo)

12/2/10  
Anonymous Anônimo said...

Grandioso trabalho. Dizer que merece emocionados parabéns, tange o óbvio.

Augusto Ramos
Suécia

1/3/10  
Blogger Jose Mauro said...

Zé, Parabéns!

Sem mídia e sem a contribuição de (de)formadores de opinião, o seu blog já obteve mais de 200 mil visitantes, o que deve ser atribuído ao seu grande trabalho de pesquisa.

Zé Mauro
Brasília
10/3/10

10/3/10  
Anonymous Anônimo said...

Parabéns..

20/4/10  
Blogger Lyz said...

Ei Zé!!! O blog ficou muito legal mesmo!!! Entre no facebook... Te adicionei.. Abraço. Lyz Capuchinho

26/12/10  
Blogger Jalul said...

JOSÉ HENRIQUE FIALHO,

SEU BLOG É COISA DE MESTRE. É HISTÓRIA PURA!
ADICIONADO AOS MEUS FAVORITOS, TEREI LEITURA GARANTIDA POR MUITO TEMPO.`
PARABÉNS.

14/1/11  
Anonymous Anônimo said...

muito bom!, parabéns, nem lhe conheço, sincero, portanto. Somente uma dúvida: vc escreve que "goodbye...", de assis valente teria sido a primeira canção crítica aos maneirismos da classe média, no uso afetado de línguas estrangeiras, especialmente o inglês, mas "O cinema falado" de noel rosa, que contém esse mesmo tipo de critica, não é anterior? E já que estamos num blog que nos deixa tão à vontade, lembro que quando um jornalista disse que caetano veloso fora o primeiro compositor a pôr "coca cola" numa canção ("Alegria, alegria"), alguém, se não o próprio luiz gonzaga lembrou que na muito mais antiga "eu vi dois siris jogando bola", um jumento tomava não apenas uma, mas vinte coca-colas...
Já como se fosse papo de botequim, quando Company Segundo veio ao Brasil e um grande jornal o tratou como o cantor mais velho em atividade no mundo, dia seguinte Moreira da Silva, com toda razão aparecia dizendo que era ele.
Grande abraço, mais uma vez parabéns!,
rogerio

3/10/11  
Anonymous Anônimo said...

olá josé henrique,
voltei porque cometi um erro no comentário anterior a canção a que me refiro no comentário anterior tem o título correto de "Não tem tradução". Seu primeiro verso é que contém a expressão "cinema falado": O cinema falado é o grande culpado...
abraço
rogerio

3/10/11  
Anonymous José Henrique Fialho said...

Amigo da postagem acima, primeiro, obrigado pelos elogios que me ajudam a ser sempre cuidadoso no que posto. Sobre a questão das músicas Não Tem Tradução (o verdadeiro nome da música, ao invés de Cinema Falado como você escreveu)e Good-Bye, Boy, segui a maioria dos estudiosos. A música de Assis é de 1932, gravada por Carmem Miranda para o carnaval de 1933. Já Não Tem Tradução é efetivamente de 1933 (Ismael Silva,inclusive, vendeu a música para Francisco Alves, que aparece como co=autor) por isso, considero que Good-Bye, Boy tem a primazia tratada no blog.

4/10/11  
Blogger joao luiz Sad said...

parabéns zé vamo que vamo,abração inté
joao luiz p sad bh XIV/III-MMXV

14/3/15  
Blogger Mario Medeiros Lino said...

Caro Zé Fialho, dizer da importância de sua obra é chover no molhado! É uma aula de erudição e patriotismo. O seu profissionalismo e esmero na pesquisa merecia um estudo à parte. Por isso, pergunto-lhe: Você lançou essa obra em livro e, se o fez, qual o nome, qual a editora?
Gostaria muito de poder tê-la em minha mãos para sorvê-la aos pouquinhos, ler e reler, admirar todos os fatos ali contidos e por fim apreciar a longa discografia ali contida.
Espero um resposta positiva a minha dúvida.
Por fim desejo-lhe muita saúde para nos brindar, com essa memória fantástica, com a sequencia das décadas seguintes.
Fique com Deus e muito obrigado!
Mario Medeiros

26/1/16  

Postar um comentário

<< Home